Tractores

novos e usados, peças e assistência

Alfaias

novos e usados, peças e assistência

Jardim

novos e usados, peças e assistência

Peças

Kubota, Fiat, Ford e New Holland

Lubrificantes

Kubota Total / Ambra NH / Ingralub

Usados

Kubota, Fiat, Ford e New Holland

Notícias:

Máquinas agrícolas: Mercado internacional

Pela primeira vez desde o início do ano, o mercado de máquinas agrícolas deu sinais positivos. Os dados foram elaborados pela FederUnacoma, uma associação italiana de fabricantes de maquinaria agrícola, com base nos veículos registados no Ministério dos Transportes, indicando um aumento nas vendas de todos os principais tipos de máquinas durante o mês de setembro.

Máquinas agrícolas

O segmento de tratores teve um desempenho particularmente bom, registando um aumento expressivo de 20,7% em relação a setembro de 2019, com um aumento líquido de 260 unidades (1 512 máquinas).

Apesar do crescimento em setembro, o saldo geral dos primeiros nove meses do ano ainda se encontra negativo  para tratores (-11,8% em comparação com 2019), mesmo que o déficit seja menor em relação aos primeiros seis meses, quando os registos caíram 18% devido à paralisação dos negócios provocada pela pandemia da Covid-19. Até ao momento, as estimativas da FederUnacoma apontam para uma queda dos tratores na ordem de 9% até o final do ano.

De acordo com as estimativas da FederUnacoma, o último trimestre do ano pode confirmar a melhora, com uma nova recuperação nos volumes de vendas. A CEMA - Associação europeia dos fabricantes de máquinas agrícolas - , prevê a consolidação desta tendência. 

Enquanto os registos de ceifeiras-debulhadoras se mantêm essencialmente nos mesmos níveis de setembro de 2019, com 33 veículos (o acumulado do ano apresenta decréscimo de 12,8%), os de reboques registam um acréscimo no mês de 3,9%, para 834 máquinas registadas- Ainda em relação aos reboques, o acumulado de nove meses (-17% que em 2019) mostra a mesma tendência observada para os tratores: forte recuo nos primeiros seis meses (-22,6% que em 2019), seguido de redução do decréscimo nos três meses seguintes, com recuperação de cinco pontos percentuais.

A recuperação também afetou tratores com plataformas de carga: 56 máquinas registadas em setembro (eram 40 no mesmo período de 2019), elevando o total de nove meses para 418 veículos, com déficit de apenas nove unidades em relação ao mesmo período de 2019.

Este aumento compensa, essencialmente, a redução no início do ano provocada pelo bloqueio. A tendência dos manipuladores telescópicos é muito semelhante, com 88 máquinas registadas em setembro (65 no mesmo período de 2019), atingindo um total de 648 unidades desde o início do ano (-4,8% em relação a 2019). Também neste caso, a tendência mostra uma recuperação parcial das vendas perdidas nas semanas de suspensão da produção e da atividade comercial.

saber mais

Quer saber mais sobre a cultura da avelã?

O Centro Nacional de Competências dos Frutos Secos (CNCFS), no âmbito do projeto #TreeNuts, vai realizar, no próximo dia 27 de novembro, uma palestra técnica e reunião setorial sobre a cultura da avelã, no Auditório da Escola Superior de Tecnologia de Viseu.

Cartaz CNCFS Avelã

A inscrição é obrigatória e limitada ao nº de vagas [email: ana.santoso@cncfs.pt.]

saber mais

locale.pt promove a valorização e promoção

O Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou no passado sábado, no lançamento da plataforma locale.pt da Dolmen - Cooperativa de Desenvolvimento Local e Regional, que envolve seis municípios do Douro Verde:  Amarante, Baião, Cinfães, Marco de Canaveses, Penafiel e Resende.

Nuno Russo

Nuno Russo, na sua intervenção, realçou que «o turismo e a animação turística, a gastronomia e a restauração, a valorização dos produtos locais, a par da formação profissional e das novas tecnologias de informação e conhecimento, dão um contributo importante ao pulsar socioeconómico de um território rural», sem esquecer os mercados locais de produtores, «as cadeias de valor acrescentado, os circuitos curtos de comercialização, que permitem um grande potencial de exploração, de comercialização e até de internacionalização».

O secretário sublinhou que «a estratégia de desenvolvimento, está alinhada com a Terra Futura, no modelo de implementação e governação. Com o propósito de fazer crescer a agricultura, inovando-a e entregando-a à próxima geração, apostando numa cadeia de valor inovadora e competitiva».

Agenda de Inovação para a Agricultura 20 | 30 – Terra Futura, define uma iniciativa emblemática – Alimentação Sustentável, entre outras 15 iniciativas, porque quer valorizar e estimular o consumo dos nossos produtos endógenos, garantindo a autenticidade e promovendo a confiança dos consumidores.

O programa para a Alimentação Sustentável pretende, ainda, estimular a produção nacional, a adoção de sistemas de produção e distribuição mais sustentáveis, as cadeias curtas de abastecimento, a valorização dos produtos de qualidade, da dieta mediterrânica e a sensibilização dos consumidores e da população em geral para a adoção de uma alimentação equilibrada e para o consumo de produtos de época e locais.

saber mais

A investigação no âmbito da agricultura bi

Conheça as dissertações de mestrado e projetos dos alunos do Mestrado em Agricultura Biológica da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima / IPVC. Diariamente, um novo artigo sobre cada um dos tópicos estará disponível na Agrotec. Acompanhe a investigação no âmbito do modo de produção biológico.

Agricultura Biológica

Horticultura

Mário João de Sousa Louro. 2011. Modelação de clima em estufa climatizada para produção e enraizamento de estacas de Eucalyptus globullus Labill. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 123p.

Miguel António Neves de Oliveira.2011. Estudo da implementação do sistema HACCP em secagem de plantas aromáticas e medicinais no modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 127p. 

Joana Manuela da Silva Teixeira. 2013. Avaliação do sistema de condução de tomate (Lycopersicum esculentum Mill) enxertado em cultura protegida na produtividade e qualidade dos frutos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 61p. 

Maria Eugénia Marques Oliveira. 2013. Avaliação da capacidade de compostos de acácia para substituição da casca de pinheiro na formulação de substratos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 46p.

Maria dos Prazeres Pires da Silva. 2014. Anteprojeto de cogumelos shiitake (Lentinula edodes) em modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 57p. 

Iurii Galadzhun. 2015. Effect of grafting runner beans on crop yield and fruit quality. 43p. 

António Lopes Ferreira 2016. Estudo de cultivares de feijão (Phaseolus coccineus L.) como potenciais porta-exertos na cultura de feijão-verde (Phaseolus vulgares L.). Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 56p. 

Maria Glória Areias dos Santos. 2016. Adaptação da Stevia rebaudiana Bertoni em modo de produção biológica em Ponte de Lima. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 56p.

Hélder Francisco Herdeiro Fernandes. 2017. Avaliação dos efeitos da enxertia na produtividade e qualidade das vagens de feijão-verde com recurso a diferentes porta-enxertos na Região Litoral Norte. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 68p. 

Maria Teresa Gomes Monteiro. 2017. Avaliação dos efeitos da enxertia na produtividade e qualidade das vagens de feijão-verde com recurso a diferentes porta-enxertos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 70p. 

Carlos Gil Silva Sá. 2020. Avaliação de porta-enxertos parcialmente resistentes no controlo de nemátodes-das-galhas-radiculares em tomateiro. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Fruticultura

Plácido Miguel Sampaio Miranda. 2011. Avaliação da incisão anelar, em diferentes datas, na produtividade e qualidade dos frutos da Actinidia deliciosa cv. Hayward. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 83p.

Duarte Henrique Carvalho dos Reis. 2012.  Citrinos em modo de produção biológico: tecnologia de produção e qualidade do fruto. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 183p.

Maria Teresa Lopes Coelho de Mascarenhas Saraiva. 2016.  Boas práticas para a cultura da macieira em modo de produção biológico na Região do Minho. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 92p.

Duarte Alexandre Moreno Martins Araújo. 2018. Estudo fenológico e qualitativo de Vaccinium corymbosum. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 62p. 

Maria Orquídea de Barros Barbosa. 2018. Estudo da influência da utilização de bioestimulantes naturais em Vaccinium corymbosum. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 52p. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

André Manuel Pereira Pedras da Cruz Lopes. 2020. Taxa de vingamento e monda manual de frutos em cultivares regionais de macieiras. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Viticultura

Cristiano Daniel Moreira Lopes Lima. 2012. Elaboração de um plano de amostragem para Empoasca vitis Goethe (Homoptera; Cicadellidae) em vinha na sub-região do Lima da Região demarcada dos Vinhos Verdes. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 89p.

Maria Mota Neves. 2012. Conversão para viticultura biológica. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 157p.

Fernando José Leão da Silva Machado. 2020. Avaliação de diferentes tipos de poda, na fertilidade, produção e maturação na casta Alvarinho, na sub-região do Sousa da Região Demarcada dos Vinhos Verdes. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Produção animal

Alexandra Falcão de Araújo. 2011. Avaliação da composição físico-química do músculo de vitelos da raça Cachena em modo de produção biológico e convencional, 81p. 

Rute da Conceição Pombo Coelho. 2012. Atributos de qualidade de carne do cabrito de raça Bravia em modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 72p. 

Alexandre Gaspar Barata. 2013. Estudo das caraterísticas da carcaça de bovinos em modo de produção biológico no Alentejo. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Joaquim Fernandes Pinto Teixeira .2013. Estudo da claudicação em vacas leiteiras em explorações do Concelho de Mogadouro no modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 41p. 

Lara Betânia pinto de Oliveira Evangelista  2013. Projecto de uma exploração de cabritos de raça serpentina, em modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 58p. 

Susana Maria Gonçalves de Freitas. 2015. Análise comparativa da viabilidade económica-financeira de uma empresa apícola em modo convencional e em MPB. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 49p. 

Maria Isabel da Silva Neto. 2017.  Contributo para o estudo de indicadores reprodutivos de caprinos de raça Bravia no concelho de Terras de Bouro no modo de produção biológico e convencional. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 49p. 

Sara Filipa Silva Cardoso. 2020. Influência da dieta no crescimento e composição química de larvas de insectos Coleoptera (Tenebrio molitor e Zophobas morio). Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Virgínia Maria da Silva Rodrigues Morais. 2020. Parâmetros biométricos de ovos e reprodutivos de galináceos autóctones portugueses. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Fertilização 

Rui Manuel Machado Pinto.201.  Efeito da correcção orgânica e da reacção do solo numa rotação hortícola de modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 65 p. 

José Manuel Rodrigues Monteiro. 2011. Influência do fosfato de gafsa, da correcção orgânica e da reacção do solo, na produtividade da alface e da couve repolho no modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 98p.

Andreia Manuela Castro Santos.2012. Avaliação do processo de compostagem de misturas com resíduos vegetais ricos em fitoquímicos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 49p. 

Áurea Margarete do Nascimento Câmara Sampaio. 2012. O papel das micorrizas no modo de produção biológico da alface (Lactuca sativa L.). Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 64p. 

João Miguel Valente Vieira de Sousa Fernandes. 2013. Avaliação de substratos com compostos de acácia e de hormona natural no enraizamento de alecrim e azereiro. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

Sandra Cristina Ruas Sá Carvalho. 2016. Efeito da correção orgânica e da fertirrigação na cultura da hortelã-pimenta (Mentha x piperita) no modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 92p. 

Ruben Daniel da Silva Ferreira. 2017.  Eficácia de um composto de resíduos de cunicultura com palha na produtividade e qualidade da alface. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 70p. 

Simão Pedro Alves da Silva. 2019. Efeito de corretivos orgânicos de resíduos vinícolas e biochar, com diferentes tempos de compostagem, na cultura de alface. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 68. 

Andreia Catarina Fernandes Rodrigues. 2020. Comparação do desenvolvimento da planta Photinia x fraseri ‘Red Robin’ produzida com diferentes substratos comerciais e modos de fertilização. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Proteção das culturas

Maria Custódia Dias Barros Gonçalves. 2011. Avaliação biológica de extractos de plantas aromáticas e medicinais no controlo de bactérias fitopatogénicas do tomateiro. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 103p. 

Henrique César de Vasconcelos Rodrigues Moreira. 2011.  Acção de Insecticidas de origem natural sobre o escaravelho-da-batateira e influência na produtividade e na qualidade de batata. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 113p.

Ana Lúcia Gonçalves Lopes. 2013.  Proteção biológica contra a mosca do terriço, Bradysia sp., na propagação vegetativa de plantas aromáticas e medicinais. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 87p. 

Eva Margarida Fernandes Garcia 2015. Variabilidade genética e fenotípica de Pseudomonas syringae pv. actinidiae, agente causal do cancro da actinídea, na região do Entre Douro e Minho. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 93p. 

Gabriela Sofia Teixeira Pereira. 2015. Incidência do cancro do castanheiro e estrutura populacional de Criphonectria parasitica (Murrill) M. E. Barr na região do Entre Douro e Minho. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 56p. 

Ana Teresa Alves Leal do Paço. 2016. Avaliação dos efeitos da enxertia de duas culturas de feijão-verde nas populações de nemátodes fitoparasitas e de bactérias fixadoras de azoto. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 78p. 

Maria Fernandes Martins.2016. Avaliação da resistência de linhagens de feijoeiro ao nemátode Meloidogyne javanica e ao fungo Fusarium oxysporum sp. phaseoli. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 68p. 

Telma Maria Sampaio Azevedo. 2017. Loquat (Eriobotrya japonica) microbiota :screening of potential biocontrol agent against Erwinia amylovora. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 99p. 

Francisco Manuel Garcia Beleza Vaz. 2018.  Reação hospedeira de cultivares de porta-enxerto de tomateiro ao nemátode-das-galhas-radiculares Meloidogyne incognita. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 65p. 

Luís Filipe Pinheiro Pinto Sobreiro. 2018. Sistema autónomo para a monitorização de insetos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 95p.

Fernando José de Azevedo Silva Santos. 2019. Avaliação do metabolismo de carbono em Actinidia deliciosa cv. "Hayward" infetada com Pseudomonas syringae pv. actinidiae e o efeito do tratamento biológico com Bacillus subtilis. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 94p.  

José da Silva. 2019. Avaliação fitossanitária do arroz armazenado na Guiné-Bissau. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 54p. 

Ana Rita Pereira Martins. 2020. Biodiversidade e hipovirulência de Cryphonectria parasitica na Região do Entre Douro e Minho: implicações para o controlo biológico do cancro do castanheiro. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Carlos Gil Silva Sá. 2020. Avaliação de porta-enxertos parcialmente resistentes no controlo de nemátodes das galhas radiculares em tomateiro. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Economia/Mercado

Luís Filipe Figueiredo Lima. Estudo exploratório sobre o perfil do consumidor de alimentos de agricultura biológica. 2013 Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

Custódio de Sousa Oliveira. 2013. Proposta de desenvolvimento de uma estratégia territorial biológico : o caso do bio-distretto e sua aplicação em Portugal. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

José Paulo Rafael Martins da Mota. 2014. Agricultura biológica em Penafiel : avaliação do projeto "Semear Penafiel". Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 63p. 

Jóni Leandro da Silva Vieira. 2016. As novas tecnologias para o desenvolvimento da agricultura biológica em Portugal : desenvolvimento de um modelo para uma plataforma de trabalho em rede. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 118p.  

Pedro Miguel Lourenço Salvador. 2017. Plataforma "You Go Bio" - apadrinhamento de árvores de fruto produzidas em modo de produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 121p.

Gracinda Conceição Malheiro Cerqueira.2018. Estratégia de marketing dos produtos agro-biológicos e manual de boas práticas para os associados da Minhorigem - Associação Agro-Ecológica do Minho. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 93p. 

Impacto ambiental

Tiago André Sousa Barbosa. 2016. Cartografia de áreas high nature value farmland (HNVF) : propostas e processos de integração do modo produção biológico. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 94p.

Ana Patrícia Rocha Leitão. 2016. Identificação dos impactes ambientais resultantes da implementação do "Festival Internacional de Jardins" de Ponte de Lima. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 116p.

Liliana P. Alves Moreira. 2020. Análise de padrões de biodiversidade em Paisagens de Elevado Valor Natural (HNVf): Caso de estudo da Bacia Hidrográfica do Rio Vez. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Agricultura social

Joaquim Fernando Almeida da Cunha. 2012. Programa anual de horticultura terapêutica para idosos. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 72p. 

Armindo Pereira Magalhães.2014. Horticultura no Centro de Acolhimento Temporário de Nogueira como estratégia de sustentabilidade na inserção social. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. 

José Carlos Couto Oliveira. 2014. Associar os ritmos da natureza ao desenvolvimento de benefícios em pessoas com diversos tipos de dificuldade. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 44p. 

Maria de Lurdes Pereira da Silva . 2014. Horta do Saber : projeto estratégico de sustentabilidade de famílias carenciadas, no Centro Comunitário de Prado, Braga. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 108p. 

Marisa Maria Carvalho Moreira. 2014. Avaliação do impacto das hortas biológicas de V. N. Famalicão no bem-estar dos seus utilizadores. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 110p.  

Natália Maria da Silva Costa. 2015. Estudo dos benefícios sociais, ambientais e económicos das hortas sociais biológicas do município da Póvoa de Lanhoso. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 100p.

Cristina Manuela da Silva Ferreira. 2018. Avaliação do impacto das ações de formação em agricultura biológica na Lipor. Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, 72p.

Cláudia Sofia Almeida Mouro. 2020. Horticultura terapêutica em pessoas com doença mental.Dissertação de mestrado em Agricultura Biológica. Escola Superior Agrária, Instituto Politécnico de Viana do Castelo. (em edição)

Atualizado a 27 de outubro de 2020

saber mais

Variabilidade genética e fenotípica do age

A bactéria Pseudomonas syringae pv. actinidiae (Psa), agente causal do cancro bacteriano da actinídea, é responsável pela doença considerada mais grave desta cultura na atualidade, provocando importantes prejuízos nos principais países produtores de kiwi, incluindo Portugal.

Kiwi

Esta doença, descrita pela primeira vez no Japão em 1984, foi detetada em Portugal em 2010, manifestando elevada agressividade e uma dispersão muito rápida, tendo, nos dias de hoje, distribuição generalizada nas principais regiões produtoras de kiwi.

Este trabalho, realizado em 2013 e 2014, teve por objetivo isolar, identificar e caraterizar isolados de Psa na Região do Entre Douro e Minho (EDM), e conhecer a prevalência das populações de Psa (Psa1, Psa2, Psa3, Psa4) nesta região. A partir de material vegetal com sintomas da doença proveniente de diferentes pomares de actinidia deliciosa, isolou-se o agente patogénico e realizou-se a sua identificação, caracterização morfológica, fenotípica, molecular e de patogenicidade.

A análise fenotípica de 94 características de uma coleção de isolados portugueses mostrou que a maioria deles se posicionou em dois fena. A maior parte dos isolados ficou incluído no fenon 1 juntamente com a estirpe italiana CFBP 7286 (Psa3). A comparação destes resultados com a identificação molecular obtida por PCR (com os primers Psa-F1/PsaR2, de Rees-George e colaboradores (2010)) permitiu identificar as 23 estirpes portuguesas como Pseudomonas syringae pv. actinidiae.

Os resultados da análise da estrutura genética da população portuguesa de Psa caracterizada, com a utilização da técnica de multiplex-PCR utilizando os primers PsaF/PsaR, EuropeF/EuropR, ChinaF/ChinaR e JapanF/JapanR, amplificou os dois fragmentos de ADN esperados de 311 e 733 pb simultaneamente, em 22 estirpes isoladas na região EDM e na estirpe italiana CFBP 7286. Estes resultados indicam que as estirpes portuguesas pertencem à população Psa3, população mais virulenta de Psa, atualmente responsável pelo surto da doença na Europa e na Nova Zelândia. Apenas para uma estirpe (B65), a caracterização molecular não foi conclusiva, indicando os resultados que se poderá tratar de uma estirpe da população Psa4 (P. s. pv. actinidifoliorum pv. nov.).

A análise do polimorfismo obtido por RFLP e BOX-PCR permitiu confirmar que, com exceção da estirpe B65, as estirpes portuguesas são idênticas à população Psa3, pois apresentaram o mesmo perfil genético das estirpes Psa3 italiana e da Nova Zelândia incluídas neste estudo.

Contudo registou-se a existência de variabilidade genética no interior das estirpes da população portuguesa. Estes resultados foram igualmente confirmados pela análise dos alinhamentos das sequências dos genes ompP1 e cts das estirpes portuguesas estudadas, que permitiu observar que existe similaridade entre estas e as estirpes de Psa da população Psa3, cujas sequências foram obtidas no GenBank (JX297572) e no artigo publicado por Vanneste e colaboradores (2010), respetivamente.

Os resultados obtidos neste trabalho permitiram ainda isolar bacteriófagos naturalmente presentes em pomares de actinídea do EDM, com a capacidade de provocar lise celular de estirpes de Psa. Estes resultados promissores, são importantes do ponto de vista do controlo da doença, sendo necessário a realização de novos estudos.

Consulte a dissertação completa.

Conheça outras investigações no âmbito da agricultura biológica.

saber mais

Conferência sobre a sustentabilidade da pr

A conferência "A sustentabilidade da produção hortícola e a cultura da batata-doce" está inserida no Ciclo de Conferências IEAAM «Sustentabilidade do Homem no Planeta Terra que Magalhães circum-navegou». Parte III. Desafios para um futuro sustentável. O evento acontece no próximo dia 3 de novembro, pelas 18 horas.

Batata-doce

O evento terá a participação de Maria Elvira Ferreira e Paulo Brito da Luz, investigadores no Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV).

As conferências realizam-se através da plataforma Zoom, o acesso é livre mas sujeito a inscrição através do formulárioMais informação.

saber mais

In Loco abre concurso para apoiar os agric

A Associação IN LOCO, na qualidade de entidade gestora do Grupo de Ação Local para o Interior do Algarve Central, informa que se encontram abertos concursos para apresentação de candidaturas no âmbito da medida 10 “LEADER”, do PDR2020, para um novo anúncio.

Agroalimentar

- 10.2.1.4 - CADEIAS CURTAS E MERCADOS LOCAIS – componente CADEIAS CURTAS (de 23 de outubro a 22 de dezembro de 2020)

As candidaturas apresentadas devem prosseguir os seguintes objetivos:

  • Promover o contacto direto entre o produtor e o consumidor, contribuindo para o escoamento da produção local, a preservação dos produtos e especialidades locais, a diminuição do desperdício alimentar, a melhoria da dieta alimentar através do acesso a produtos da época, frescos e de qualidade, bem como fomentando a confiança entre produtor e consumidor;

  • Incentivar práticas culturais menos intensivas e ambientalmente sustentáveis, contribuindo para a diminuição da emissão de gases efeito de estufa através da redução de custos de armazenamento, refrigeração e transporte dos produtos até aos centros de distribuição.

As ações elegíveis são as seguintes:

  • Armazenamento, transporte e aquisição de pequenas estruturas de venda;

  • Ações de sensibilização e educação para consumidores ou outro público -alvo;

  • Desenvolvimento de plataformas eletrónicas e materiais promocionais;

  • Ações de promoção e sensibilização para a comercialização de proximidade junto de núcleos urbanos que permitam escoar e valorizar a produção local;

  • Deslocações dos produtores aos mercados locais, entregas em pontos específicos e aquisições de serviços associadas;

  • Adaptação e apetrechamento de infraestruturas existentes, para pontos específicos, no âmbito de cadeias curtas.

Os apoios previstos variam entre 50% a 80% do investimento elegível, sob a forma de subvenção não reembolsável.

Os investimentos devem estar localizados no território do Interior Algarve Central, que abrange as seguintes freguesias: Guia e Paderne, no Concelho de Albufeira; Santa Bárbara de Nexe, Conceição e Estoi, no Concelho de Faro; Alte, Ameixial, Boliqueime, Salir, São Sebastião e Querença, Tôr e Benafim, no Concelho de Loulé; Pechão e Moncarapacho e Fuseta, no Concelho de Olhão; São Brás de Alportel; São Bartolomeu de Messines e São Marcos da Serra, no Concelho de Silves; Cachopo, Santa Catarina da Fonte do Bispo e Luz de Tavira e Santo Estêvão, no Concelho de Tavira.

Os anúncios e demais informação relevante, nomeadamente legislação, formulários, orientações técnicas que incluem as listas de documentos a apresentar, estão disponíveis no portal do PORTUGAL 2020, no PDR 2020 ou no sítio do GAL “Interior do Algarve Central”.Esclarecimentos junto do Contact Center do PDR2020, a contactar através do n.º 800 500 064, ou na Associação IN LOCO através do telefone 289 840 860 ou correio eletrónico dlbc@in-loco.pt.

saber mais

FIRA 2020: Fórum Internacional de Robótica

O evento, que reúne os atores do setor para debater uso de robôs na agricultura, acontece entre os dias 8 e 10 de dezembro. Este ano, devido à pandemia sanitária provocada pela Covid-19, o certame realiza-se exclusivamente em formato online.

FIRA 2020

Anualmente, o FIRA reúne uma ampla gama de atores agrícolas para trocar ideias e colaborar para o futuro da agricultura, tendo como objetivo estabelecer uma comunidade que promova a mudança através da inovação agrícola.

Desde 2016 que o FIRA conseguiu consolidar-se como o principal evento para profissionais do setor de robótica agrícola. Lançado e organizado desde então pela Naïo Technologies, o FIRA evolui hoje e será realizado a partir de agora pela associação GOFAR - Global Organization for Agricultural Robotics.

A organização independente surgiu  para fazer soar a voz do setor e desenvolver um componente promocional que falta nas estruturas existentes. Este foi o preâmbulo da criação do GOFAR em maio passado pela Axema e Naïo Technologies, com a participação de RobAgri na diretoria executiva enquanto membro.

Mais informações já se encontram disponíveis.

saber mais

Publicações: